Marcadores moleculares para Sucupira e Padrão Espacial da Copaíba – LabCast: Episódio #04

Neste episódio, você irá conhecer dois trabalhos de iniciação científica de graduandos em Engenharia Florestal da UFRN, com Thereza Marinho e Abidã Genesis.


🎧 Ouça o LabCast #04 aqui:


Entre os marcadores moleculares de DNA amplificados pela técnica da reação em cadeia da polimerase (PCR), destaca-se o Inter Simple Sequence Repeats (ISSR), que é baseado nos marcadores Simple Sequence Repeats (SSR), conhecidos como microssatélites. Cita-se como vantagens dos marcadores ISSR a metodologia simples e de baixo custo, alta eficácia e reprodutibilidade, e a não exigência de informações prévias sobre a sequência de DNA para sua síntese. Como fator restritivo cita-se a herança dominante.


Thereza Marinho apresentou seu estudo intitulado “Seleção de iniciadores moleculares ISSR como subsídio para estudos genéticos da Bowdichia virgilioides Kunth”. A B. virgilioides (Fabaceae), conhecida como sucupira-preta, possui ampla distribuição no Brasil. A espécie pode ser encontrada por exemplo na Mata Atlântica, um bioma com intensa pressão antrópica e com riscos à manutenção da variabilidade genética das populações inseridas na região.


Neste sentido, o objetivo do trabalho da Thereza consistiu em selecionar iniciadores moleculares ISSR para estudos de genética de populações da B. virgilioides. Os marcadores ISSR selecionados foram eficazes para a identificação de polimorfismo molecular da B. virgilioides. Assim, poderão ser utilizados em futuras pesquisas de diversidade, melhoramento e conservação genética da espécie.


Em seguida, Abidã Genesis apresentou seu trabalho sobre o “Padrão espacial da Copaifera arenicola em fragmento de Floresta Estacional Semidecidual”. As Copaifera L são conhecidas como copaíbas, e possuem relevância econômica na extração do óleo-resina. Devido ao extrativismo e uso da lenha como matriz energética, a copaíba está suscetível às atividades antrópicas que influenciam no seu estabelecimento natural.


Assim, com o objetivo de caracterizar populações naturais de Copaifera arenicola (Ducke) J.Costa & L.P.Queiroz (Fabaceae), o estudo do Abidã verificou o padrão de distribuição espacial da espécie em um fragmento de Floresta Estacional Semidecidual. Considerando que se trata de uma espécie clímax e predominante no ambiente avaliado, hipotetizou-se que o padrão de distribuição espacial da C. arenicola apresentará aleatoriedade. Assista ao LabCast e veja os resultados do teste de hipótese e as proposições para subsidiar programas de manejo e conservação da espécie.


Referências relacionadas aos trabalhos e espécies:


📑 OLIVEIRA, T. M. L.; PIMENTA, J. M. A.; FAJARDO, C. G.; VIEIRA, F. A. Bowdichia virgilioides Kunth: potenciais de usos, conservação e manejo sustentável. In: Isaac Araújo Gomes et al. (Org.). Abordagens tecnológicas e sociais no nordeste brasileiro. 1ed. Bananeiras: Gepra Editora & Eventos Científicos, 2020, v. 1, p. 165-177.


📑 Outras publicações do nosso grupo de pesquisa: https://www.labgem.com.br/motivacao


🎬 Veja imagens do LabCast #04:



#AquitemPropesqUFRN #AquitemCNPq #AquitemMCTIC

@UFRN @CNPq @MCTIC

24 views0 comments

Recent Posts

See All

© 2016-2019 Fábio Vieira

Podcast..png
  • Twitter